Gerir a motivação pessoal com base na Pirâmide das Necessidades de Maslow

Pirâmide das necessidades de MAslowA motivação no ambiente empresarial consiste na criação de impulsos e estímulos que conduzem as pessoas a elevados níveis de performance e ao alcance dos objetivos da empresa. A motivação é o ímpeto que leva à acção – nas empresas esta acção deverá estar orientada para os resultados e a criação de vantagens competitivas.

A motivação dos recursos humanos de uma empresa ultrapassa hoje a visão das organizações como máquinas (como era proposto por Taylor) e mostra a importância de gerir também os processos sociais dos grupos, por um lado, e as necessidades e expectativas das pessoas, por outro.

Ou seja, a dinâmica dos grupos, as influências sociais, os comportamentos das pessoas, as necessidades e expectativas são factores que influenciam a motivação de uma equipa de trabalho e, portanto, também os resultados da empresa.

Por isso, um dos desafios da gestão estratégica dos recursos humanos consiste em converter as necessidades das pessoas em comportamentos e acções orientadas para o sucesso e as metas da empresa.

Através da Pirâmide das Necessidades, Maslow oferece uma perspectiva hierárquica de análise e de gestão das principais necessidades e expectativas do ser humano.

Pela ordenação da pirâmide percebemos que o ser humano procura em primeiro lugar satisfazer necessidades básicas e fisiológicas, como a conquista de alimento, refúgio, ar e a temperatura apropriada – trata-se em primeiro lugar de conseguir condições de sobrevivência.

Só depois de satisfeitas as necessidades fisiológicas é que o homem procurará condições de segurança (integridade física, conforto) e, num terceiro nível, relações sociais de amizade, amor e afeto.

Depois de satisfeitos os primeiros três níveis de necessidades – fisiológicas, de segurança e sociais – entramos nos dois níveis superiores (segundo Maslow): a necessidade de estima e a necessidade de realização pessoal, conhecidas por fatores motivacionais.

É nestes dois níveis de necessidades, ou seja, é da satisfação destas necessidades superiores que resulta a motivação. A motivação dos recursos humanos é estimulada ao nível das oportunidades criadas para uma maior auto-estima, confiança e reconhecimento da pessoa.

Por último, a realização pessoal dos recursos humanos está associada ao desenvolvimento de competências técnicas e psicológicas, à atribuição de novos desafios profissionais e à evolução na carreira.

Estes factores motivacionais, que correspondem a necessidades superiores do ser humano (porque estão pendentes da realização de outras necessidades prévias), estão ao nível das recompensas intrínsecas que as pessoas esperam do trabalho - autonomia, maior responsabilização e novos desafios, requalificação profissional, novas aprendizagens e desenvolvimento de competências, estimulo à participação e partilha de objectivos. Desta forma os trabalhadores sentem-se úteis, necessários e valorizados na empresa, o que resulta em níveis elevados de motivação e de satisfação no trabalho.

A Pirâmide das Necessidades proposta por Maslow traça assim uma hierarquia simples de anseios e necessidades do ser humano que não podem ser ignoradas na gestão dos recursos humanos de uma empresa.

Gerir os recursos humanos com base na pirâmide das necessidades e, sobretudo, procurar a satisfação das necessidades superiores na empresa (quando todas as anteriores estão cumpridas) permite criar um ambiente organizacional de motivação permanente, empenho e de renovação do potencial das pessoas.

Subscrever actualizações

rss

Comentários



AVISO:Todos os artigos publicados no blogue Gestor.pt são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento financeiro. Site Meter